sábado, 7 de julho de 2007

ADEUS


Olho o teu rosto
Pálido e sereno,
Em sonho imerso…

E oiço o teu eco,
No som dos teus passos,
A tua voz em verso.

Ela abraçou-te
Com o seu manto negro
E tu partiste.

Coberto de mil flores,
Disseste-nos adeus
Naquela tarde triste.

Partiste para sempre
Mas ficaste no tempo,
Num tempo que não existe.

Sem comentários: