sábado, 14 de julho de 2007

SOLIDÃO


VEJO-TE

EM CADA NOITE

ABRAÇANDO AMORES,

O CORPO SOLTO

EM ONDAS

DE DESEJO

E OIÇO

O SILÊNCIO

DA MEMÓRIA

DOS DIAS

JÁ ESQUECIDOS,

DESTE AMOR

QUE NÃO CABE

NAS PALAVRAS

Sem comentários: