sábado, 18 de agosto de 2007

PRAÇA DE SANTA CRUZ



Gosto muito de cães mas acho que andamos a exagerar.

O fiel amigo por vezes funciona como um escape para algumas pessoas que têm nele a sua única companhia.

Mas muitas vezes cai-se no exagero.

Pessoalmente, acho uma tremenda sacanice dizerem-se coisas como: "Quanto mais conheço as pessoas, mais gosto dos animais" ou "Não quero ter filhos. Já tenho cães".

Hoje, durante o meu passeio matinal no jardim da Praça de Santa Cruz, fartei-me de ver cocós e fiquei fora de mim.

Naquele instante pensei que em mais lugar nenhum estaria defronte de um cagalhão na calçada, de um monte de bosta pisado por alguém que passara alheio ao incenso merdoso que emanava do solo e que eu, a todo o custo, tentava evitar, fazendo gincana.

Será uma questão de civismo, por parte dos donos dos animais. Não podemos pedir aos cachorros que saiam à rua de pá e saco de plástico e apanhem eles os seus próprios dejectos.

Está na consciência dos donos, proceder de forma a minimizar as consequências das necessidades fisiológicas do seu animal de estimação, na via pública.

Não custa nada!

Os cidadãos do Barreiro agradecem!

Sem comentários: