quinta-feira, 6 de setembro de 2007

ALBURRICA NEWS CHANNEL - ÚLTIMA HORA



Interrompemos o nosso serviço noticioso a fim de dar conta dos últimos desenvolvimentos sobre a reunião com o “Sheik”, na Assembleia Municipal.

Segundo as últimas informações, o avião que deveria levá-lo de volta ao seu país, foi impedido de descolar devido à forte neblina que atingiu toda a cidade. Tanto o Aeroporto do Terminal como a Base Aérea do Mexilhoeiro Grande, estiveram encerrados durante todo o dia de ontem e de hoje, não se prevendo a sua reabertura nas próximas horas. Também o porta- aviões, propriedade da Santa Inquisição dos Pintores e Artistas Plásticos, ancorado junto ao Cais dos Catamarans, foi mobilizado numa tentativa de ajudar o monarca árabe, a sair do Barreiro.

Do nosso local de reportagem damos conta da maior confusão.

Todos querem apertar a mão ao “Sheik” que procura por todos os meios refugiar-se em local seguro. Consegue disfarçar-se de “Inês” e entrar à socapa no asilo dos velhinhos. Os “stewards” do largo da Rata formam uma barreira cerrada em frente ao portão principal do asilo, para não deixar passar ninguém estranho ao serviço.

Vemos na fila da frente a D.ª “Mecinha” envergando um cinto de ligas e botas de cano alto douradas. Agita a lingerie e grita palavras de ordem, baixando e levantando as cuecas. Um velhote não resiste e manda-se do segundo andar à rua, aterrando em cima da contabilista do asilo, que tinha vindo cá fora comprar alcagoitas para o seu chá.

Atenção! A melhor atenção! Vejam como isto é possível! O Conde de Santa Casa corre para a ajudar. Neste momento começa a despir a rapariga e a fazer-lhe respiração boca a boca, massajando o peito da donzela, numa tentativa de reanimação. Como esteve muito tempo agachado, reparamos que torceu a bengala. Ouvimo-lo a gritar pelo Viagra e pelo Ciális, que julgamos serem funcionários da Instituição que virão ajudá-lo, certamente.

A Rua Miguel Bombarda virou uma autêntica praça de guerra. Está tudo um caos. No quartel general do Governo, muito perto do asilo, Luís Fileiras está à janela, desfolhando malmequeres e trincando madalenas, como se nada fosse com ele.

Incrível! Vemos agora Carlos Palacetes de Carvalho a ameaçar a população. Isto só visto! Do alto da janela dos Paços do Concelho, ameaça chamar o corpo de intervenção da polícia municipal, altamente treinado.

Juntam-se agora os apoiantes do Mercado Marquês de Pombal. Do outro lado da rua, concentram-se os opositores ao Mercado. A batalha está eminente.

Vêmo-lo pegar no telemóvel. Vai mesmo chamar a tropa de elite da edilidade.
Vamos mudar de sítio. Já se ouvem as sirenes! Fujam!

As viaturas policiais ocupam lugares estratégicos e dão início a uma mega rusga na Rua Marquez de Pombal. Tem sido uma correria. Cabós Gonçalves e alguns suspeitos estão a ser revistados. Frequentadores estão em pânico. Os Bares fecharam mais cedo. As minorias desapareceram da área.

Entrevistamos alguns comerciantes que apoiam a operação. Outros são contra.
Sabemos que há estabelecimentos sem alvará e sem acústica adequada para conter o excesso e barulho.

Pedimos à nossa repórter Verdadeira que tente chegar junto de Carlos Palacetes de Carvalho, para obter uma declaração.

- Ora então boa noite! Em directo do terreiro dos acontecimentos, temos Carlos Palacetes que acede em prestar o seu depoimento.

- Senhor Presidente, o que o levou a chamar o grupo de intervenção da polícia municipal da edilidade? Não acha que foi uma medida exagerada?

- De todo! O executivo tem prometido tudo e mais alguma coisa e não há razão para haver esta confusão toda. É tudo uma questão de participação! Ninguém me compreende! Inclusivamente já prometi instalar câmeras de televisão nas ruas para os mais vaidosos. Já convidei o emplastro e o Rui Rio, para umas sessões de fotografia de promoção à cidade . Não vejo por que haver tamanha ingratidão.
Como pode observar, eu tenho modernizado. Ora veja o equipamento da Polícia Municipal. Têm-me acusado de gastar tudo com os assessores, mas isso é falso.
Contratei a Fátima Flopes para desenhar e confeccionar as fardas e veja como são práticas e arejadas. Ingratos! A minha vontade era não me recandidatar e chamar o António. Podia ser que assim me dessem o devido valor.

- Atenção, daqui a repórter Verdadeira. Dou como terminada a entrevista a Palacetes de Carvalho.

Para todos fica a imagem de um corpo de polícia de intervenção municipal muito bem equipado.

Como podem ver, as fardas desenhadas por Fátima Flopes são do mais prático e arejado que há.

Atenção estúdios.

- Obrigada Verdadeira. Ficamos na verdade com uma boa imagem daquilo que são as fardas do corpo de intervenção da edilidade.

Por hoje, da nossa parte é tudo. Voltaremos logo que os acontecimentos o justifiquem.

Boa noite!

Sem comentários: