domingo, 6 de abril de 2008

O SOL DA MEIA NOITE



Como todas as pessoas, tenho dias melhores e outros piores.

Tudo depende da forma como encaro a vida e os problemas que me surgem no dia a dia.

Regra geral sou uma pessoa calma, cordata, serena e gosto muito do meu espaço, aquele lugar onde vivo e passo as minhas horas de lazer, na companhia dos meus cachorros, dos meus amigos, de colegas, da família e de todas as pessoas que gostam de mim.

Tempos houve em que "fugi" de Portugal à procura não sei bem de quê.

Cheguei à conclusão que afinal o que sempre procurei está aqui bem perto de mim, só que eu nunca consegui ver.

Fui atrás do sol da meia noite, quando tinha um sol enorme e quente a sorrir para mim, a acariciar-me.

Mas as mágoas eram tantas que eu ceguei.

Estraguei tudo.

Agora só me resta contar os dias, os meses, os anos e esperar que pelo menos alguém possa ser feliz.

Sem comentários: