domingo, 4 de maio de 2008

DIA DA MÃE



Hoje é Dia da Mãe para todos aqueles que têm a sorte de a ter junto de si.

A minha "partiu" há muitos anos atrás, na minha adolescência, quando o Dia da Mãe era comemorado no dia 8 de Dezembro.

Recordo com saudade a forma como eu e os meus oito irmãos, uns dias antes, "cravávamos" os nossos avós e o nosso pai para termos uma verba decente que nos permitisse comprar-lhe o presente que sabíamos que ela iria adorar: um grande ramo de flores do campo.

Ela adorava flores do campo com espigas à mistura. Ficava radiante quando se apercebia que o seu presente era aquilo de que mais gostava: malmequeres, lírios, margaridas e outras flores que constituiam assim o seu arco-íris.

Pela ordem natural das coisas, hoje também eu recebi um grande ramo de rosas de todas as cores.

Parei para pensar e recordar aqueles momentos tão felizes e distantes.

Tenho a certeza de que se a minha mãe ainda estivesse entre nós, estaria connosco e não atirada para algum daqueles armazéns de velhos, onde hoje seria dia de visita, onde só hoje talvez tivesse a complacência de uma visita por ser Dia da Mãe e não porque foi aquela Mãe amiga, sempre presente nos bons e nos maus momentos.

Quantas idosas nessas condições terão recebido hoje a visita dos seus filhos?

Quantas passarão o ano inteiro sem ter uma presença amiga que lhes dê aquilo que elas precisam: carinho?

Quantas terão sido hoje abandonadas à porta do Hospital?

Mamã, estejas onde estiveres, estarás sempre comigo.

Adoro-te!

Ich liebe dich!

Sem comentários: