sábado, 24 de maio de 2008

MISÉRIA SILENCIOSA



Hoje fiz uma breve reflexão sobre um tema candente da actualidade do nosso país, que parece passar ao lado das reais preocupações dos políticos que nos governam.

De que serve ter o défice controlado se em Portugal há muita pobreza silenciosa?

A actual crise económica e social, que assola Portugal, devia ser motivo de vergonha para os nossos políticos.

O fraco crescimento económico e o desemprego têm levado ao aumento de pessoas que precisam de ser ajudadas nas coisas mais essenciais da vida, que são os alimentos.

Sem alimentos não se vive nem se pode ter condições nem forças para procurar trabalho, para zelar pelo bem-estar familiar, para viver com dignidade.

Queiramos ou não admiti-lo, há muita pobreza silenciosa no nosso país. Temos de estar atentos e solidários, porque a situação está a piorar a cada dia que passa.

Perante estas sombrias perspectivas, custa-me compreender como o Senhor Ministro da Agricultura de Portugal terá declarado que apenas se tratava de “um problema de preços” e que não iria haver racionamento de bens em Portugal.

Parece evidente que vai haver racionamento. Se o preço dos bens continuar a aumentar, muitas famílias vão ver-se na obrigação de racionar de facto as suas aquisições pois, com o mesmo orçamento familiar, não conseguirão comprar a mesma quantidade de comida que compravam anteriormente.

Não tenhamos ilusões. Em Portugal existe crise e há cada vez mais pessoas a precisar de serem ajudadas nas coisas mais essenciais da vida.

Os senhores que nos governam deveriam ter vergonha e encarar a realidade nua e crua com que se debate a maior parte da população portuguesa.

Estamos fartos de ser enganados.

Basta!

Sem comentários: