sexta-feira, 22 de agosto de 2008

A PROCISSÃO



Ontem passei uma boa parte da noite na risota com o meu vizinho do peito, o Conde do Barreiro Velho, com quem tenho uma forte ligação de amizade, desde há quase três anos.

Eu sei que ele fica encabulado quando lhe dou beijokas em público e foge de mim a sete pés, quando se apercebe que lhe vou beliscar o traseiro.

"Você é uma abusadora", diz-me ele. "Eu podia ser seu pai e você anda sempre a aborrecer-me e trata-me como se eu fosse da sua idade. Qualquer dia dou-lhe um estaladão nessas ventarolas, que você até vai aterrar na misericórdia".

Pronto! Amocho logo. Este meu vizinho tem um quê de psicólogo que o faz adivinhar que, quem quiser ver-me passada dos carretos, é só falar em misericórdia e misericordiosos.

Por falar de misericórdia, o meu vizinho convidou-me a ver as fotos que tirou da procissão de Nossa Senhora do Rosário, no dia 15 de Agosto. Este ano não estive presente a acompanhar a minha tia Vivi que é frequentadora assídua da Igreja e devota da Santa. Escapei-me de boa, porque sempre achei que aquela procissão serve apenas de "montra" de vaidades e de outras intenções menos religiosas, a pessoas sem escrúpulos.

Eles lá estavam todos de óculos escuros e trajes muito pouco apropriados à solenidade. Quem acompanha uma procissão como representante do que quer que seja, deveria, no mínimo, primar pela sobriedade, pela discrição e pela decência.

Debaixo do Pálio vinham pessoas que em tempos renegaram a Cruz de Cristo. Por que motivo andam agora a beijocar a cruz e a fazer de conta que são católicos fervorosos?

Aquelas fotos deram-me volta ao estômago.

Adorei o casal de óculos escuros, de mãozinhas dadas e vestido a rigor para ir ao baile do cabaré da coxa. Aquele tom celestial de azul-cueca e aquele branco imaculado de virgem maometana, comoveram-me até às lágrimas e inspiraram-me um poema ao estilo de Bocage, que mais tarde "postarei" aqui.

Então aquele saco prateado, com chinelas a condizer e aquele cinto a espartilhar as provectas banhas, nem vos conto.

Acho que Nossa Senhora vai pedir para não saír mais na procissão.

Por que será que certas pessoas não se olham ao espelho, antes de saír de casa?

Sem comentários: