terça-feira, 9 de dezembro de 2008

KANDAHAR



Já faltam poucos dias para terminar o 1.º Semestre.

Hoje fiquei apreensiva.

Um dos meus melhores alunos de Fiscal I, militar de profissão, vai para Kandahar no Afeganistão, logo a seguir ao Natal.

Por isso vai deixar o Curso de Direito.


Perguntei-lhe se valeria a pena desistir do seu sonho de ser magistrado, para ir fazer uma guerra que não é nem nunca foi a sua.

Disse-me que sim, que valia, porque vai ganhar o suficiente para comprar a moradia dos seus sonhos, daqui a pouco tempo.

Fiquei a pensar.

Ontem fugiam para França, a salto, para escaparem à tropa nas antigas colónias. Diziam que era uma guerra injusta e que não queriam morrer em vão.

Hoje militam numa guerra que não é deles e esquecem-se que podem morrer ali ao virar de uma esquina, atingidos por um fundamentalista qualquer.

Será que a vida, afinal, tem um preço?

Sem comentários: