quarta-feira, 15 de abril de 2009

OS MONOS AMARELOS ÀS RISCAS


Cheguei hoje das minhas curtas férias Pascais, em terras de Trás-os-Montes.

Ao chegar a casa, deparei-me com um mono amarelo, caído à entrada da minha garagem.

Recolhi-o e enfiei-o num dos "moloks" que há aqui perto de casa.

Não sem antes ler o que lá estava escrito: "Acha que os jardins são para embelezar?" perguntam eles, com a maior cara de pau de todos os tempos.

Ainda me lembro das obras na Avenida Alfredo da Silva, quando era executivo o Partido Socialista do Barreiro.

Daquelas crateras a céu aberto onde me estatelei um dia e dei cabo das minhas sandálias Chanel, que me custaram uma pipa de massa.

Não fosse um trabalhador amparar-me a queda, desconfio que as consequências teriam sido bem diferentes e gravosas para a minha pessoa.

Apeteceu-me guardar o mono e pespegá-lo à porta da sede do PS, na Miguel Bombarda, com um recado em letras garrafais: "NÃO POLUAM VOCÊS O AMBIENTE!".

Que falta de imaginação!

Sem comentários: