quarta-feira, 16 de setembro de 2009

MENTIRAS E OUTRAS CRETINICES



Detesto que me mintam. Prefiro que não digam nada, que se calem ou esqueçam que eu existo.

"Não fui eu", disseram. Mas eu sei de fonte limpa, que foi e voltará a ser, se houver oportunidade.

Aviso: da próxima vez que me deres música, não vai ser nada pacífico. Exigirei a verdade, nua e crua, porque não sei conviver com mentiras.

Por isso, da próxima vez que aconteça, vais ter de te haver comigo.

Depois não digas que não te avisei.

Sem comentários: