domingo, 19 de setembro de 2010

NITO ALVES - UMA PEDRA NO SAPATO



Recentemente, houve o testemunho de um militar de nome João Kandada, a residir em Espanha, que assumiu o ónus de ter fuzilado Nito Alves, sob as ordens de Iko Carreira, Onambwe e Carlos Jorge e que o corpo foi amarrado com pesos e atirado ao mar, para se afundar.

O 27 de Maio de 1977, foi um momento negro da história de Angola, nessa altura já fora do domínio de Portugal.

O mínimo que poderá ser feito, é dizerem onde estão os corpos e permitirem às famílias exumar os restos mortais, para poderem enterrar os seus mortos condignamente, ainda que já sejam passados 33 anos.

Onde estão as certidões de óbito de todos os que foram executados?

Para quando a punição de todos os canalhas assassinos que tomaram parte no hediondo massacre?

Sem comentários: