quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

UMA TARDE NO "SHOPPING"


Hoje juntei o útil ao agradável.

Não costumo encontrar-me com os amigos durante a semana, por falta de tempo. Mas como tirei umas curtas férias de Natal e tinha de fazer a tal TAC que ando para fazer, há uns tempos, aproveitei a companhia de uma amiga que me desafiou, para ir às compras com ela, numa grande superfície comercial do Porto.

Por norma, compro tudo no comércio tradicional e ando pouco pelos centros comerciais. Como a TAC estava marcada num conhecido Hospital privado, instalado no Shopping onde a minha amiga tencionava comprar os seus presentes de Natal, aproveitei a deixa, até porque o médico tinha pedido um exame com "contraste" e recomendado que fosse acompanhada por outra pessoa, para prevenir prováveis imprevistos em termos de possível "badagaio", devido à minha condição de saúde que, ultimamente, não tem andado lá grande coisa. E como o meu médico é um autêntico "pitt-bull", eu pensei: deixa-me aproveitar a "boleia", porque "uma mão lava a outra", só para não o ter "à perna". O homem quer controlar-me tudo e mais alguma coisa, qual marido desconfiado. Mas, no fundo, ele é boa pessoa e rimo-nos muito quando lhe digo algumas verdades que ele classifica de "barbaridades" que não está habituado a ouvir, como quando chamo "abananço" a toda a função clínica, extra Serviço Nacional de Saúde.

Mas adiante...

Depois do tal exame, acompanhei a minha amiga. O Shopping estava a abarrotar de gente, com filas à porta das lojas mais caras. Fiquei surpreendida, porque estamos em crise e a prudência aconselha a que ninguém se meta em "funduras". Verifiquei que continua a utilização indiscriminada de cartões de crédito.

Será que aquela gente não tem miolos?

Sem comentários: