segunda-feira, 28 de março de 2011

AGORA É QUE É


Tinha dito que ia dar férias ao Blog, mas afinal vou dá-las a mim mesmo.

Prometo que não vou demorar muito, até porque o meu "Bizinho" não me deixa afastar por muito tempo porque, diz ele, depois não tem com quem treinar o seu inglês, ao estilo de Rebecca Blood.

Tenho uns afazeres inadiáveis, que me vão manter afastada da blogosfera, durante uns tempitos, poucos.

Tudo em nome do progresso e da realização pessoal e intelectual.

Sabem os meus telefones e os meus mails. Podem contactar-me, se quiserem.

Stay Well, and be happy!

I'll be back soon.

Bye!

domingo, 27 de março de 2011

PARA MEDITAR


Clicar na imagem, para ler.

SÓCRATES REELEITO SECRETÁRIO-GERAL DO PS


Apesar de ter obtido menos 3%, comparando com as três eleições anteriores, Sócrates foi eleito novamente Secretário-Geral do seu Partido, com 93% dos votos.

Deviam beatificar este tipo.

A partir de agora, devia passar a ser conhecido por São José Sócrates, o padroeiro das lavagens cerebrais, da propaganda, da mentira, da vitimização, e claro, da bancarrota e da desgraça de Portugal.

DE ONDE VIRÃO OS BÉBÉS RUIVOS?


Depois de o bebé nascer, o pai, aflito, foi falar com o obstetra.

"Senhor doutor, estou muito preocupado porque a minha filha nasceu com cabelos ruivos. Não pode ser minha!"

"Que disparate!", disse o médico. "Mesmo que tu e a tua mulher, tenham ambos cabelo preto, podem ter cabelos ruivos nos genes da vossa família."

"Não é possível!", insistiu o pai. "Ambas as nossas famílias têm tido cabelos pretos, há muitas gerações."

"Bem", disse o médico, "tenho de perguntar... Com que frequência tu e a tua mulher praticam sexo?"

O homem, envergonhado, respondeu: "Este ano tenho andado cansado, de trabalhar muito. Só fizemos amor uma ou duas vezes nos últimos meses."

"Então aí está!", disse o médico, confiante. "É da ferrugem!"

ORAÇÃO DA MANHÃ


Senhor, Deus do Universo!

Dai-me sabedoria para suportar algumas pessoas, porque se me dais força, parto-lhes o focinho.

A ESPERANÇA É A ÚLTIMA A MORRER


Tenho esperança de que chegará o dia em que todos voltaremos a ser felizes, quando:


OS SÓCRATES FOREM APENAS FILÓSOFOS

OS ALEGRES, APENAS CRIANÇAS

OS CAVACOS, APENAS INSTRUMENTOS MUSICAIS

OS SOARES, APENAS GASES

OS PASSOS, APENAS DE DANÇA

OS COELHOS, APENAS DA PLAYBOY

sábado, 26 de março de 2011

TODOS OS COBARDES SÃO VINGATIVOS


Sócrates, o aldrabão, caíu e nunca mais se levantará.

Fugindo da Assembleia da República, em dia de chumbo do seu Governo, Sócrates mostrou a sua verdadeira faceta de politico rasca: tem mau perder e não tem qualquer respeito pela Democracia.

Um politico assim, com tiques de ditador, não interessa ao País e irremediavelmente teria que ser afastado.

Que vá para o PS, bolsar a sua arrogância e as suas mentiras do costume, e ameaçar quem não disser "Ámen" com ele.

Quer ser reeleito Secretário-Geral do PS, à força, e pretende recandidatar-se a primeiro ministro de Portugal, como se os portugueses fossem doentes mentais e estivessem dispostos a ir na "corrida".

O maior sonho de Sócrates é, agora, o de implodir Portugal e de acabar com os portugueses.

Porque todos os cobardes são vingativos.

domingo, 20 de março de 2011

CHEGOU A PRIMAVERA


Tenho a sorte de poder viver no campo, mesmo às portas da cidade.

Chegou a Primavera, a Estação que me viu nascer. Os arbustos estão todos floridos e há um cheiro perfumado no ar, que me traz lembranças do passado e me faz recordar alguns locais da minha infância.

Da janela do meu quarto, ao entardecer, vejo coelhos e patos bravos, melros, ratos do campo, ouriços, rolas e outros bichos que me fazem sentir bem e me dão alento e inspiração para prosseguir os meus objectivos.

Neste tempo de crise, todos nós precisamos de alento e inspiração.

Por esse motivo, desejo, a todos, dias melhores e uma Primavera muito feliz!

SÓCRATES, NÃO PEC'S MAIS


O homem é um grande mentiroso e a mentira é um pecado mortal.

O defeito já vem de longe, muito antes da sua primeira campanha eleitoral para as legislativas, quando prometeu mundos e fundos e depois fez tudo ao contrário, pondo em risco a sobrevivência nacional.

A última foi o PEC número quatro.

Qualquer dia destes vai querer convencer Portugal e Bruxelas, de que é o Pai Natal.

Este é um caso patológico, digno de estudo.

PORTUGUESES À RASCA


José Sócrates, o mentiroso compulsivo, desvaloriza e desconsidera que Portugal tenha vivido, há dias, um chamado sobressalto cívico, único na nossa história recente,não apenas de uma geração à rasca, mas de um País totalmente à rasca.

Desempregados, empregados, jovens, menos jovens, todos aqueles que passam recibos verdes, e os que estão “efectivos” mas que são explorados e mal pagos, todos eles sairam à rua e fizeram ouvir a sua voz.

Esta classe política e este Governo ainda em funções, não deviam cair na tentação de desconsiderar as manifestações e mobilizações que ocorreram por todo o País,só porque essas manifestações foram convocadas através do Facebook, tendo por base uma música dos Deolinda. Seriam uns grandessíssimos parvalhões se o fizessem, porque se há alguma ilação a tirar dessa movimentação de rua, aqui e ali salpicada pelas músicas e adereços do 25 de Abril, é a de que alguma coisa está a mudar na sociedade portuguesa, para pior.

Como no 25 de Abril de 1974, quando tudo começou com uma música tocada na rádio, durante a madrugada, também a “deolindização” desta nova geração, é mobilizadora e contagiou as outras gerações, mais velhas, que vieram também para a rua reclamar em nome de tudo aquilo que não souberam fazer ou aproveitar, quando lhes foi dada a oportunidade, no pós 25 de Abril.

Jovens e menos jovens estão agora todos à rasca e solidários.

A nova geração que está agora a chegar ao meio laboral, com diplomas que o mercado de trabalho não quer, ou que não tem capacidade para absorver, vive um ambiente de frustração e de indignação compreensível, porque a anterior geração de portugueses “revolucionários”, se perdeu em chavões e em ideais e não teve o discernimento suficiente para saber fazer cumprir todas as promessas que fez às gerações vindouras, de um país livre e democrático, com paz, pão, saúde e habitação para todos.

Mas a verdade, como se percebe por todas estas manifestações, é que não só essa geração se enganou a si própria como também contribuiu para o aparecimento de uma nova geração desiludida, pouco produtiva e mal paga.

O manifesto “Parva que sou”, dos Deolinda, de forma implícita ou explícita, quer garantir para os jovens que estão a entrar ou entraram no mercado de trabalho, os mesmos direitos - e poucos deveres - das gerações anteriores.

Portugal precisa de excelência e de um outro modelo que contemple o mérito e a necessidade de terem, todos, acesso às mesmas oportunidades. Tem sido omitido que foi este mérito e a oportunidade de acesso, que fizeram dos “Deolinda” os bem sucedidos que são hoje.

Eles são um bom exemplo de que vale a pena estudar as oportunidades e o mercado, fazer o que outros não estão a fazer e inovar. Os melhores, os mais competentes, os mais bem formados, triunfarão, mais cedo ou mais tarde.

O País à rasca quer o direito ao emprego, quer acabar com a precariedade, quer salários dignos, quer protecção social para os que mais necessitam. São princípios fundamentais que todos devemos defender.

Mas, para que isso seja uma realidade, é preciso que as regras sejam mudadas e que se acabe de uma vez por todas com aquilo que resultou do 25 de Abril de 1974 e que foi uma espécie de contrato social que hoje não nos serve, que forma profissionais que o mercado não quer, que protege os interesses instalados, que impede a mobilidade e a flexibilidade, que trava a criação de riqueza, que premeia o laxismo e o amiguismo e que não incentiva o espírito criativo, o empreendedorismo e a inovação.

De uma coisa teremos a certeza: todos poderemos fazer manifestações e mais manifestações, mas o emprego e o salário só poderão resultar se houver riqueza.

Por isso, não sejam parvos. Há que ser criativo e produzir.

sábado, 19 de março de 2011

DIA DO PAI


O nome, só por si, não quer dizer nada.

Ser Pai não basta. É preciso ser um Bom Pai.

Um Pai verdadeiro, presente, carinhoso, atento, cooperante, responsável, digno, que não utilize os filhos como armas de arremesso, nem atente contra a sua personalidade jurídica.

Para todos os BONS PAIS, desejo uma vida próspera e feliz, na companhia de todos os seu rebentos, sem discriminações. Os concebidos dentro e fora do matrimónio. Os bons e os maus filhos. Os feios e os bonitos. Os burros, os espertos e os inteligentes. Os deficientes e os escorreitos. Os gordos e os magros.

Para ser um Bom Pai, não necessita ser rico. Bastará dar um pouco do melhor de si mesmo, a cada um deles.

CIA


A CIA resolveu recrutar um atirador. Após uma série de selecções, entrevistas e testes, escolheram três candidatos: um Francês, um Inglês e um Português.

Para a prova final, os agentes da CIA colocaram os candidatos diante de uma porta metálica e entregaram-lhes uma pistola:

- Queremos ter a certeza de que seguem as instruções, quaisquer que sejam as circunstâncias.

Dizem então ao Francês:

- Detrás desta porta você vai encontrar a sua mulher sentada numa cadeira.

Terá que a matar!

- Estão a falar a sério? Eu jamais mataria a minha mulher!!!

- Então você não serve, responde o agente.

Ao Inglês deram as mesmas instruções, ele pegou na arma e entrou na sala.

Durante 5 minutos, tudo muito calmo. Depois regressou com as lágrimas nos olhos.

- Tentei mas não posso matar a minha mulher.

- Você também não esta preparado para trabalhar nesta agência. Pegue na sua mulher e vá-se embora.

Chegou enfim a vez do Português! Deram-lhe as mesmas instruções, indicando-lhe que teria de matar a sua mulher. Ouviram-se tiros, um estrondo e depois outro... A seguir ouvem-se gritos, barulhos de móveis a partir, etc.

Após alguns minutos fica tudo muito calmo... A porta abre-se lentamente e o Português sai, limpa o suor e diz:

- Bem me podiam ter dito que os tiros eram de pólvora seca!!! Tive que a matar com a cadeira.

QUERIDOS AMIGOS E INIMIGOS


Hoje venho aqui apenas para dar o ar da minha graça, uma vez que ultrapassei, com este blog, a barreira dos cem mil leitores, em pouco mais de três anos de existência.

Recebi vários mails e pedidos telefónicos, instando-me a escrever qualquer coisa, já que, apesar de tudo, há os que sentem a minha falta e os que estão admirados por estar tanto tempo sem escrever nada.

Infelizmente, está tudo na mesma e tenho verificado que Portugal e o Barreiro, em especial, estão a regredir.

A malta, a cada dia que passa, está cada vez mais insatisfeita e os défices não param de aumentar. É tal o marasmo que, confesso, não tenho andado com pachorra para "ratar na casaca" de ninguém. Desconfio mesmo que ando com um problema de hipossecreção tóxica das glandulas salivares, o que é frustrante. Mais a mais para alguém que, como eu, não é pago para destilar todo o veneno que pode, neste espaço, já que agora tudo se resume a uma questão de "carcanhol" e de orçamento.

Os sintomas começaram quando li num jornal deste país de merda, a notícia de que a malta, se quiser continuar a ter médico de família, terá de actualizar os dados no centro de saúde.

É evidente que eles agora deitam mão de tudo, para distraír o Povão do estado caótico das finanças públicas e põem os orgãos de comunicação social a empaliar o Zé Povinho, dando notícias jornalisticamente comezinhas, por estarmos numa daquelas "silly seasons" que o país atravessa e que já mete nojo.

Noticiar a necessidade de se expurgarem das listas dos médicos de família portugueses, os defuntos, os migrantes, os repetidos, não deve ter sido tarefa fácil, já que da dita medida não resulta nenhum crime de faca e alguidar, que o Povo adora.

Se formos ver, o impacto de alguém ter sido encontrado morto em casa, nove anos após a ocorrência, não é a mesma coisa que detectar e expurgar um defunto há nove anos, da lista de um qualquer médico de família, que se preze. No primeiro caso temos um morto embrulhado num lençol, em cima de uma maca e transportado por bombeiros. Já um morto de uma lista de médico de família não desperta qualquer emoção. Morreu, está morto e pronto!

Isto para dizer que muitos jornalistas não são rigorosos e também não fazem o menor esforço para o serem.

Trataram de construir um texto absurdo, onde era sugerido que uma das medidas do serviço de "limpeza", permitiria a alguém oferecer o seu médico de família a outrém.

De acordo com a errada interpretação feita por alguns jornalistas, dada à estampa, quem por acaso tiver médico de família mas por qualquer razão deixar de precisar ou de querer ser seguido por ele, poderá ceder o seu lugar na lista a um amigo, familiar ou vizinho.

O que quer dizer que, com a crise que atravessamos e atentos à interpretação feita por alguns orgãos de comunicação social, será possível assistirmos, em breve, à venda de lugares nas listas de médicos de família.

Tão degradante quanto isso.

terça-feira, 1 de março de 2011

O RELÓGIO DA "INBICTA"


José mostra orgulhosamente o seu novo apartamento a um amigo, após um jantar bem regado.

Quando chegam à sala, o amigo repara numa enorme tampa de panela pendurada numa parede e pergunta:

- O que é aquilo?

José responde:

- É o meu relógio!

- E como funciona? - pergunta o amigo.

José pega num martelo e arregaça uma valente pancada no gongo.

De repente, ouve-se do outro lado da parede:

- BAI PRÓ CARALHO!...., GRANDESSÍSSIMO FILHO DA PUTA ......, SÃO DUAS HORAS DA MANHÃ!!!!!!

- Bês... num falha, carago!