domingo, 22 de maio de 2011

O DESESPERADO


O mentiroso compulsivo está tão desesperado que chegou ao ponto de arregimentar imigrantes que não podem votar, para fazerem número no comício de sábado passado, em Évora, não se sabe com que intuito, já que actualmente só podem votar os cidadãos com residência legal em TN há mais de três anos, oriundos da Argentina, Chile, Estónia, Israel, Noruega, Peru, Uruguai, Venezuela, os Brasileiros que tenham requerido a igualdade de direitos políticos, porque os que requereram só a igualdade de direitos e deveres, votam apenas nas autárquicas e os Caboverdianos também residentes há mais de dois anos, que votam apenas nas eleições autárquicas.

Havia cidadãos estrangeiros para todos os gostos. Africanos, chineses, bengalis, paquistaneses, indianos, estes últimos muito bem representados por cidadãos da etnia Sikh, com as suas longas barbas e turbantes coloridos.

Nenhum deles falava português fluente e quando inquiridos sobre o motivo da sua presença, nenhum soube explicar por que estava ali a apoiar Sócrates e o Partido Socialista.

A mim pareceu-me que estavam todos muito mais interessados no farnel que lhes foi prometido e distribuido em sacos de plástico e que, obviamente, não devia ter chegado para todos.

Não me admira que alguns deles estejam ilegalmente no nosso país.

Da mesma forma, e durante o almoço em Elvas, uma velhota "pôs a boca no trombone" e contou à malta que tinha ido ao almoço da campanha, porque era de graça e que tinha sido levada, pelo Presidente da sua Junta de Freguesia, juntamente com outras pessoas, em dois autocarros. Achei graça ao tom da velhota quando disse: "Atão, se me querem cá, têm de me dar alguma coisa, na é?".

Seria bom sabermos com que verbas foram pagos esses autocarros dessa Junta de Freguesia e os que transportaram os imigrantes desde Lisboa e se na campanha do Partido Socialista estão, ou não, a ser utilizados meios e verbas do Estado.

O desespero é tão grande, que eles não olham a meios para atingir fins.

O Compositor da música do filme "Gladiador", devia processar o Partido Socialista pelo uso abusivo do tema do filme, que já fez com que muitas pessoas tenham aversão à música.

Pessoalmente, quando a oiço em qualquer sítio, fico logo com brotoeja e à espera de ver surgir o aldrabão-mor, acompanhado do seu séquito de estarolas, a vomitar mentiras e as baboseiras do costume, com a sua mãozinha direita a gesticular, para cima e para baixo, num gesto que me faz lembrar algo que, por pudor, não menciono aqui.

Sem comentários: