sábado, 18 de junho de 2011

A MINHA CASA-MUSEU


Dizia-me hoje um Amigo que conhece a minha paixão por móveis e objectos antigos, que não entende como, sendo eu uma pessoa tão de acordo com os tempos modernos, consigo viver numa casa que mais parece um museu.

Ai que caraças, pensei eu.

Mas o que será que tem a ver uma coisa com a outra?

Desde miúda que me habituei a viver em casas antigas, com móveis e objectos herdados de antepassados, todos eles com a sua história, onde sempre me senti muito bem.

Tomei gosto por esse ambiente de outros tempos, ao ponto de ter mantido todo um conjunto de peças antigas, com grande significado para mim e para a minha família.

O mais engraçado é que uma das minhas alunas, aquela que tem a mania do esoterismo, das vidências, cartomâncias, tarots e afins, um dia destes disse-me que eu, numa outra vida, era uma condessa romena, casada com um nobre riquíssimo, danada para a "brincadeira", com três amantes em simultâneo.

Que fixe, brinquei eu.

Já sei de onde me vem o gosto pelas antiguidades e pelos objectos em prata.

Agora aquela cena dos três amantes...

E ainda por cima Romena...

Fosga-se!

Sem comentários: