quarta-feira, 22 de junho de 2011

PORTUGAL NÃO SABE APROVEITAR O POTENCIAL QUE TEM


Tenho o privilégio de viver actualmente numa zona do país, de grandes entalhadores e mestres marceneiros que transformam a madeira em autênticas obras de arte.

Não compreendo como tão bons artistas como eles são, não têm tido oportunidade de singrar na sua arte, uma arte que se está a perder, porque os mais novos preferem trabalhos menos criativos e menos trabalhosos e o Estado não lhes dá qualquer incentivo.

Muitos vivem miseravelmente. Fazem trabalhos em talha, elaboradíssimos, autênticas obras de arte que lhes são pagos a tuta e meia.

É a exploração no seu melhor.

Tornei-me amiga de um deles, a quem tenho encomendado diversas peças em talha.

Desde o emblema do Benfica, à Última Ceia de Jesus, passando por um Cristo com uma expressão que jamais vi em qualquer outro, o José Vale tem umas mãos de ouro.

Ficou muito admirado quando lhe pedi que me assinasse todas as peças que lhe encomendei. Achou o pedido bizarro, porque jamais alguém lhe pediu semelhante.

Ficou todo vaidoso quando eu lhe disse que todo o talento tem nome e que, um dia, quando eu e ele já não estivermos neste mundo, a sua obra perdurará, para gáudio de todos aqueles que, como eu, amam a verdadeira arte.

Quando será que em Portugal se recomeçará a recuperar as artes que se perderam e a dar mais valor a estes talentosos homens?

Quando será que em vez do IKEA e afins, teremos móveis de madeira genuína, desenhados e entalhados por artistas portugueses, como o José Vale?

A imagem ilustra mais um dos meus recantos, onde se podem ver as obras em talha, desse homem que eu considero um talentoso artista.

Sem comentários: