terça-feira, 27 de setembro de 2011

"A REGULADORA" - OS MELHORES TÉCNICOS RELOJOEIROS DO MUNDO


Há já uns tempos que andava "em baixo de forma" por causa de um dos meus objectos de estimação, herdado dos meus bisavós paternos.

De repente deixou de preencher o meu "vazio" com as suas suaves badaladas que me faziam reviver episódios da minha meninice e juventude, sobretudo a hora do lanche, em casa dos meus Avós, com sabor do arroz doce e das torradas e aquele cheiro a café com leite, que jamais voltarei a sentir em toda a minha vida.

Aquele relógio era "matemático" e nós, os mais pequenos, sabiamos sempre que àquela hora a nossa Avó esmerava-se e caprichava no lanche dos seus meninos e menina que era eu e os meus primos.

Um dia deixou de trabalhar mas eu mantive-o pendurado, apesar de mudo, pelo significado que ele sempre teve para mim e para a minha família.

Corri vários técnicos de relojoaria que nunca conseguiram pô-lo a funcionar: "tem um mecanismo muito antigo, diziam. Não vai encontrar ninguém capaz de o arranjar, a menos que lhe ponha uma máquina nova e mude toda a engrenagem".

Trouxe-o para casa e pendurei-o no sítio onde sempre o tive. Nesse dia, como que em protesto, desatou a dar badaladas, sem parar, mesmo sem que a corda estivesse activada.

Liguei para um amigo meu, engenheiro mecânico, que me sugeriu levá-lo à Reguladora, em Famalicão, considerados dos melhores técnicos do mundo em relojoaria.

Meu dito, meu feito. O relógio foi-me entregue hoje, arranjado, apesar de ser quase uma peça de museu, mantiveram a mesma engrenagem e não atrasa nem adianta um segundo.

Continua a dar as suas badaladas, aquelas badaladas que ainda hoje me transportam aos meus tempos de criança.

Sem comentários: