quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

POR ISSO, DEIXEI DE VER TELEVISÃO

OS "REIS"


No início do próximo ano, mais concretamente no dia 6 de Janeiro de 2012, e segundo reza a tradição cristã, três reis atravessarão enormes desertos, desafiando o sol ardente, a sede e inúmeros outros perigos, para chegarem a terras da Judeia.

Merklior, o jovem Gaspar e Baltazar seguirão a brilhante Estrela de Belém, e guiados por ela, meter-se-ão a caminho para saudar a chegada daquele que, segundo a profecia, será o Rei dos Reis.

Para nós portugueses, a partir de 1 de Janeiro, os três reis magos simbolizarão a crise que nos assola a todos, o regredir civilizacional, a estagnação, a falta de objectivos para todos aqueles que se têm visto a braços com o desemprego serôdio, a falência e a pobreza generalizada.

Após uma longa viagem, finalmente chegarão à gruta pobre e lúgubre que é Portugal, onde afinal não encontrarão Jesus.

Nas palhinhas encontrarão, deitado, um ser tenebroso, vampiresco, disforme, alaranjado, com cornos, garras de águia e olhos de serpente.

Cada um deles ajoelhar-se-á para louvá-lo e lhe prestar homenagem.

Baltasar oferecerá ouro, símbolo daquilo que já não temos.

MerKlior oferecerá mirra, uma resina usada para perfumar e embalsamar os mortos-vivos deste país que não reage.

Gaspar, com as suas falinhas mansas e o seu ar de quem passa as noites na ganza, a ler histórias de vampiros, vem por trás e saca tudo.

Curiosidade: os três reis magos representam os povos do mundo, de todas as raças e etnias.

Por cá, o dia de Reis representará o começo de um duro penar, para todos aqueles que vivem apenas do seu trabalho.