quinta-feira, 8 de março de 2012

AS "RELOTES"


Anda tudo muito preocupado com a Reorganização Administrativa Territorial Autárquica.

Uma das minhas alunas, Presidente de uma Junta de Freguesia, manifestava-me hoje a sua apreensão pela nova reestruturação ao nível do poder local.

"Não é por nada", dizia-me ela. "Mas sempre ajudavamos a minorar a solidão e as condições deploráveis em que vivem dezenas de idosos. Sem a Junta, onde irão eles tratar dos seus problemas? Os transportes, para a sede do concelho, são quase inexistentes e caros ".

Se atentarmos no facto de essa Junta de Freguesia, ter menos de 1000 habitantes, fiquei a matutar se, qualquer dia destes, o  nosso PM e o Ministro das Finanças não irão lançar um concurso público para aquisição de roulotes que substituirão na perfeição essas unidades funcionais, representantes da Administração Central e Local, junto daqueles papalvos que descontaram uma vida inteira para terem hoje uma reforma e condições de merda e daqueloutros que, sem meios de subsistência ou de locomoção,  não têm nada que incomodar o Estado com pedidos de certidões e outros documentos.  

De terra em terra, essas "relotes" itinerantes, conduzidas por um licenciado, a recibos verdes,  vão proporcionar, em dias certos da semana, àqueles que não têm meios materiais para se deslocarem mais longe, a possibilidade de tratarem dos seus assuntos.

Para rentabilizar as mesmas, vão vender-se também umas raspadinhas, lotaria popular, lotaria nacional e ainda umas sandes de coiratos, umas bejecas, umas  mines e uns CD´s do Toni Carreira.

Sem comentários: