quarta-feira, 21 de março de 2012

O PECADO DA GULA




Aproxima-se a Páscoa, uma quadra que gosto de festejar, mais do que o Natal.

O Natal faz-me lembrar bacalhau e eu detesto bacalhau.

Sou mais apologista do cabrito assado em forno de lenha, com grelos salteados e aquelas saborosas batatinhas coradinhas e redondinhas, capazes de dar vista a um cego.

Não como muito, é certo, mas quando como,  é para valer. Que o diga a minha Amiga D.ª Mimi, transmontana de gema, que conhece e alimenta todos os meus vícios e pecados em relação à comida.

Esta semana já começou os seus "ensaios" do folar de carne, tradição Pascal em Trás-os-Montes.

Hoje mandou-me um enorme, que distribuí pelos lateiros do costume.  Lamberam os beiços e suspiraram por mais.

Quando dei conta, ficaram apenas umas migalhitas e,  se não me ponho a pau,  até o prato ia.  

"Que a D.ª Mimi viva muitos e felizes anos", desejaram os lateiros.

A D.ª Mimi é uma "Nação", disse eu, porque o melhor que se leva desta vida é o que se come e o que se bebe e ela cozinha como ninguém.

À parte os trocadilhos dos mais malandrecos, sobre o verbo "comer" e "cozinhar", todos foram unânimes em considerar que o pecado da gula,  devia ser banido dos Dez Mandamentos. 

Para a semana diz ela que há mais.


Que venha ele!




Sem comentários: