segunda-feira, 3 de setembro de 2012

"E DEPOIS DO ADEUS...."






As férias de Verão estão a chegar ao fim e para trás vão ficar as boas recordações que sempre guardo, quando passo esses dias de lazer com pessoas que me são muito queridas e com quem tenho grandes afinidades.


Este ano foi o máximo.


Adoro o mar e, sempre que posso, lá vou eu com o equipamento às costas, para dar grandes e demorados mergulhos, ao mesmo tempo que dou graças a Deus por me permitir ter agilidade mental e física suficiente, para o fazer, já que sou uma mecinha muito resistente, que já escapou a um AVC e a uma leucemia, ainda na "flor" da idade, que por felicidade não deixaram sequelas.


Adorei dar longos passeios à beira-mar, com a espuma das ondas a acariciar-me os pés e o cheiro a maresia a entrar-me pelas narinas dentro.

Adorei aqueles abraços sinceros e aquele sorriso franco, de quem ainda guarda uma secreta esperança.


Como o tempo passou.


Fiquei atrapalhada quando me perguntaste se guardei as tuas cartas de amor.

Como poderia guardá-las, se nunca as recebi?


"O Amor é fodido", pensei eu, recordando-me do romance de Miguel Esteves Cardoso e da história que narrava.

O Amor é mesmo fodido.


Quando pensamos que há muito dissemos "adeus", o passado emerge com sotaque francês, os mesmos olhos azuis como os lagos da região de L'Aquitaine, um beijo e um abraço que nos reconforta e aconchega a alma.


Gosto tanto de ti.

Sem comentários: