sábado, 24 de novembro de 2012

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

HÁ CADA COISA MAIS ESTRANHA NESTE MUNDO....



Não é por nada, mas acho que já toda a gente sabe que agora ando dividida entre França e Portugal, por motivos passionais.

Uma mulher não é de ferro, caramba, nem nunca pode dizer "desta água não beberei", porque pode caír-lhe um chafariz em cima, o que é um caso muito sério.

Com estas mudanças todas, farto-me de ir ao IKEA e similares, comprar caixas e mais caixinhas, papeis e mais papelinhos para embrulhar as loiças e o resto, quando um dos meus amigos me sugeriu que podia ir esvaziar-lhe a despensa dos muitos jornais que acumulou ao longo de muito tempo e lá me convenceu que seria uma forma de eu poupar imenso dinheiro, se aproveitasse os ditos jornais, para acomodar algumas das minhas imbambas que vão num camião TIR, na próxima semana,  para França.

Ora estava eu nesta labuta, sem contar com a ajuda do meu "bizinho" do Barreiro Velho, que ficou fulo comigo,  por eu ter posto a bandeira da monarquia à janela, mesmo virada para a casota onde ele costuma guardar os estrunfes, quando encontrei um bocado de  jornal desse meu amigo, onde se lia que uma rapariga qualquer, não sei em que país, estava a leiloar a sua virgindade na net, que já ia em cerca de oitocentos mil  euros, para fazer face a compromissos, prosseguir os estudos e ter uma vida estável.

Eureka! (pensei eu).

Isto seria o ideal para Portugal reequilibrar as finanças públicas: obrigar todos os políticos que levaram o País à bancarrota, a vender a sua virgindade traseira, em leilão,  e serem obrigados a doar esse dinheiro ao país, pelo dano que causaram, que todos nós, hoje, estamos a pagar.

Eu sei que até ia haver alguns deles que eram capazes de gostar da ideia e  ir a um cirurgião plástico, para lhes apertar o "bojão",  pois da fama não se livram.   

Aqueloutros, religiosos, tementes a Deus,  que sofrem de hemorroidas, essa protecção divina, não teriam qualquer chance de entrar na licitação, a menos que fossem intervencionados.

Se dizem que cada português deve, em média,  vinte mil euros, por causa de governações selvagens, a multiplicar por tanto político oportunista, muito em breve ver-nos-iamos livres da Troika, Frau Merkel & Associados.  

domingo, 18 de novembro de 2012

QUEM HAVIA DE DIZER...


Que, nos meus verdes anos,  o meu primeiro afilhado de Baptismo, havia de ser, hoje,  um garboso funcionário da Auto-Europa.  

Era um bébé lindíssimo,  e hoje é um jovem promissor, com um largo futuro à sua frente.

Tenho muito orgulho em  ti, Miúdo.

Beijokas para vocês todos.


quinta-feira, 15 de novembro de 2012

AINDA ESTOU EM MUDANÇAS



Para aquele Senhor que me pediu, via e-mail,  há poucos dias, que lhe mandasse uma cópia de uma "preciosidade" de que falei num dos meus "posts", informo-o que vou fazer os possíveis por satisfazer o seu pedido com a maior brevidade.

É que eu agora ando  mais por França do que por Portugal e não sei se o tenho na minha casa de Nancy ou do Porto, porque a confusão é tal, que ainda não consegui organizar-me.

Sabe como são as mudanças, não sabe?

Mas mal o encontre, pode ficar descansado que lhe enviarei uma cópia no mesmo dia.

É que eu tenho por hábito  nunca etiquetar as caixas por fora, a dizer o que contêm e depois é a maior bagunça.

sábado, 10 de novembro de 2012

Ó P'RA MIM


Nos meus verdes anos, no lado esquerdo, a preparar-me para fugir do enquadramento.

Juro que não tenho pachorra para fazer "pose" para fotografias.

Mas adoro fotografias em tom sépia ou a preto e branco. É uma panca como outra qualquer.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

O SOL MORREU PARA NÓS NAQUELE DIA



Mas hás-de viver para sempre nos nossos corações,  e não esqueceremos jamais os teus olhos verde-esmeralda, da côr daquele mar  que adoravas.

Passado um ano, ainda não consegui habituar-me a viver sem ti.

Fazes-me falta. Tenho saudades dos teus abraços.

Um beijo, Papá.



domingo, 4 de novembro de 2012

O ANTES E O DEPOIS


Quem havia de dizer, no dia 25 de Abril de 1974, que o Zé Povinho Português, ia ser enganado e sodomizado, menos de quarenta anos depois, pelo Calimero e por um Conguito etíope.

A vida é mesmo uma caixinha de surpresas.

sábado, 3 de novembro de 2012

COISAS DO IRS



 - Está? É a Menina Vanessa?

- Sim, eu própria. Quem fala?

- Sou o Lopes, o contabilista. Temos problemas com o seu IRS. As Finanças cruzaram dados e acham que o seu património está muito para além das possibilidades do seu salário de secretária.

- Que chatice! E agora?

- Olhe, mande-me cópia actualizada da sua principal fonte de rendimento. Vou ver o que posso fazer.

- OK, Senhor Lopes, vou já tirar uma cópia. Daqui a pouco, chega aí por ‘fax’.