segunda-feira, 19 de novembro de 2012

HÁ CADA COISA MAIS ESTRANHA NESTE MUNDO....



Não é por nada, mas acho que já toda a gente sabe que agora ando dividida entre França e Portugal, por motivos passionais.

Uma mulher não é de ferro, caramba, nem nunca pode dizer "desta água não beberei", porque pode caír-lhe um chafariz em cima, o que é um caso muito sério.

Com estas mudanças todas, farto-me de ir ao IKEA e similares, comprar caixas e mais caixinhas, papeis e mais papelinhos para embrulhar as loiças e o resto, quando um dos meus amigos me sugeriu que podia ir esvaziar-lhe a despensa dos muitos jornais que acumulou ao longo de muito tempo e lá me convenceu que seria uma forma de eu poupar imenso dinheiro, se aproveitasse os ditos jornais, para acomodar algumas das minhas imbambas que vão num camião TIR, na próxima semana,  para França.

Ora estava eu nesta labuta, sem contar com a ajuda do meu "bizinho" do Barreiro Velho, que ficou fulo comigo,  por eu ter posto a bandeira da monarquia à janela, mesmo virada para a casota onde ele costuma guardar os estrunfes, quando encontrei um bocado de  jornal desse meu amigo, onde se lia que uma rapariga qualquer, não sei em que país, estava a leiloar a sua virgindade na net, que já ia em cerca de oitocentos mil  euros, para fazer face a compromissos, prosseguir os estudos e ter uma vida estável.

Eureka! (pensei eu).

Isto seria o ideal para Portugal reequilibrar as finanças públicas: obrigar todos os políticos que levaram o País à bancarrota, a vender a sua virgindade traseira, em leilão,  e serem obrigados a doar esse dinheiro ao país, pelo dano que causaram, que todos nós, hoje, estamos a pagar.

Eu sei que até ia haver alguns deles que eram capazes de gostar da ideia e  ir a um cirurgião plástico, para lhes apertar o "bojão",  pois da fama não se livram.   

Aqueloutros, religiosos, tementes a Deus,  que sofrem de hemorroidas, essa protecção divina, não teriam qualquer chance de entrar na licitação, a menos que fossem intervencionados.

Se dizem que cada português deve, em média,  vinte mil euros, por causa de governações selvagens, a multiplicar por tanto político oportunista, muito em breve ver-nos-iamos livres da Troika, Frau Merkel & Associados.  

1 comentário:

Magus Silva disse...

Obrigar os políticos aue causaram a banca rota a vender a virgindade para saldar a dívida seria uma grande prossisão e não se limitaria aos tais dez anos que muitos referem. E Nem seriam apenas políticos. Seria uma grande surpresa. Bamqueiros e outra gente de bem que foram comendo disfarçadamente as ajudas que nos desajudaram.