sábado, 15 de dezembro de 2012

(DES)GOV.PT


No almoço habitual dos sábados, com os lateiros todos da minha "confraria", foi discutido o facto de este Governo não ligar puto ao que pensa o Zé Povinho e até ignorá-lo, quando se trata de tomar decisões que afectam directamente todos aqueles que têm consciência de que são cidadãos portugueses de pleno direito e,  como tal, as suas opiniões deveriam ser tomadas em consideração, o que não acontece, apesar de haver um site todo "bonitinho",  do Governo que apela aos cidadãos a manifestarem-se e a dar a sua opinião, mas que afinal não respondem a ninguém, nem que seja com um simples "vai levar no cu".

Por acaso eu já sugeri naquela treta das sugestões da página do Governo, que uma das formas de sustentar a Segurança Social, era o pessoal ir para a reforma, sim, mas continuar a descontar para a mesma, como se ainda se encontrasse no activo. Eu não me incomodava nada com isso, porque acabava-se a trampa de andarem com desculpas que a culpa das desgraças e da fome em Portugal, é da falta de natalidade e da esperança de vida ser cada vez maior.

Era preferível isso,  do que andarem com corte aqui corte acoli, a lixar quem trabalhou uma vida inteira para nada, só para poderem ter um alibi para justificar o aumento da  despesa pública,  que cada vez é maior e descarado, com a compra de carros de topo de gama, a que todo o gato sapato tem direito, e outras mordomias, como assessores e directores sem qualificações, a ocupar cargos para os quais não têm o devido perfil, nem as devidas habilitações, todos a receber ordenados escandalosos.

Eu já comecei a ficar farta desta merda toda.

Se querem que nasçam crianças, parem de dar a "pírula" de borla nos centros de saúde e de utilizar a IVG e a pílula do dia seguinte, como meios de contracepção recorrentes, porque somos todos nós que estamos a pagar o pato e esse material não é nada barato.

Quando tiverem "vontade", vão até ao Facebook do nosso PR, desabafar as mágoas,  tomem um duche gelado, ou então cosam a "passarinha"  com fio do norte e utilizem outras alternativas, porque o que não falta neste País,  são buracos.

2 comentários:

Magus Silva disse...

Olá, como se já nos conhecêssemos.
Ao descorar da medida que sugere no seu revoltado comentário,pode parecer que eu sou sempre do contra.mas desta vez não é o caso.

Até concordo com descontos para todos que recebem, e porque não, criar um rendimento virtual, para que não recebe nada, aplicando-lhe o respectivo desconto e assim se encotrariam as gorduras oculta, que ester governo lupeia noite e dia.
Assim, com o nosso desgoverno, a nadar em dinheiro, acabar-se-iam as lamúrias.

Porém, cara Angolana,
não seriam estas modidas consideradas insuficientes, sucessivamente insuficientes, para ir mais além, muito mais além.

É que, se calhar, ainda falta um bocadinho para o cenário total da crise mundial do século passado, sem dúvida, a meta deste desastroso governo.

Magus Silva disse...

Ao discordar da sua sugestão pode perecer que sou sempre do contra, mas desta vez não é o caso.
Concordo com a radical medida de descontos para todos.

E para que este desgoverno se deixe de lamúrias, proporia mesmo um vencimento virtual para quem não recebe nada e os respectivos descontos.

Com montanhas de dinheiro sacado a quem tem pouco ou não tem nada, talvez este desastroso governo, parasse a sua doentia perseguição a quem não é da sua laia, (leia-se: laia dele).

E depois, e depois do depois? Esta coisa a que chamamos governo, iria mais além, até nos colocar ao nível da crise universal do século passado, porventura, a meta do seu
do seu tresloucado sonho.