sábado, 10 de agosto de 2013

BARREIRO 2013


Mais logo vou servir de cicerone nas festas do Barreiro 2013.

O grupo é grande e incorpora vários estrangeiros, entre os quais o maridinho e os dois cunhadinhos.

O maridinho e um dos cunhadinhos, arquitectos de profissão, ficaram siderados com aquelas pinturas do Largo Alexandre Herculano e com o estado geral do Barreiro Velho que o meu Bizinho não quer que chamem "antigo".

"C'est dommage", disseram eles.

Eu concordei, como concordo sempre, quando se trata de defender aquele espaço que deveria ser a montra da cidade, mas não é.

A maior parte das cidades tem orgulho nos seus centros históricos e tentam reconstrui-los e preservá-los.

No Barreiro isso não acontece.

"Pourquoi pas?"

Vou ver-me «à rasca» para conseguir explicar-lhes o inexplicável.


8 comentários:

Anónimo disse...

Fiel ao leão de ouro e elegante como sempre e muito educada, no meio de duas "torres".

Algum deles é jogador de basquete?



Flor disse...

Não é questão de fidelidade. É uma questão de bom gosto porque a comida de lá é óptima.

Obrigada pelo elogio. Quase me babei. Sempre fiz os possíveis por manter a "silhueta" (risos) e não virar batoque.

Por que haveria de ser mal educada ou rude, se toda a gente me mima tanto, quando venho ao Barreiro?

Aqueles dois são as minhas "torres gémeas". Não são jogadores de basquete mas praticam imenso desporto.

Uma beijoka para si que me saíu cá um cusco.....

Anónimo disse...

É sempre simpática com toda a gente.

Ainda ontem comentei com uns amigos que, se quisesse, podia ser uma candidata elegível aqui no Barreiro. Eu votava em si. É solidária, inteligente, bonita, tem sentido de humor, boa formação académica e gosta de animais. Tem tudo o que um candidato deve ter para ganhar eleições.

O seu primo João e o Tó Manel são meus amigos desde a 1ª classe, já lá vão 41 anos.

Continuação de boas férias.

Fernando B.

Flor disse...

Não calcula o que já me ri à sua custa, por ter enumerado as qualidades de um candidato.

Não leve a mal que eu me ria, mas é que não resisti a pensar que nunca poderei ser candidata pelo PS, 1.º porque não sou "misericordiosa", 2.º não estou reformada e 3.º ainda sou uma "cota enxuta" com muitos anos de trabalho pela frente, se Deus quiser.

Parece que é uma condição "sine qua non", no PSB, ser-se "misericordioso"(risos).

Agradeço muito o seu "voto" mas já estou cansada de dizer a toda a gente, que jamais me filiarei em qualquer partido.

Sei que o Fernando é o melhor amigo do João e do Tó, por isso está desculpado.

Abraço.

Zé do Barreiro disse...

" 1.º porque não sou "misericordiosa","

Ah Ah Ah Ah.

" ... que jamais me filiarei em qualquer partido."

Então poderei contar consigo, em 2017, como independente para encabeçar a lista à Câmara ?

( Penso que, agora, não terá qq desculpa... )

Muita saúde.

Flor disse...

Essa coisa dos "independentes" não é muito fiável. Ou se é, ou não se é.

Em 2017 não sabemos se ainda estamos todos vivos e a mexer o dedinho grande do pé.

Não sou apologista que haja partidos políticos. Muitos servem-se deles para atingir fins inconfessáveis.

Por isso, lamento desiludi-lo, nem em 2007.

Até porque a minha vida está estruturada fora de Portugal e não penso voltar tão cedo.

Abraço.

Zé do Barreiro disse...

Não há mesmo nada a fazer.

Manifestamente!

Muitas felicidades.

Flor disse...

Vocês, os Verdadeiros Socialistas, têm de ser mais pro-activos e começar a "varrer" a casa. Essa é uma tarefa que costuma ser feita de "dentro para fora".
Não sei se me faço entender.

No final do mês vou regressar a França mas vou estar atenta às eleições de dia 29 de Setembro.

Um carinhoso Abraço e muitas felicidades para si também e para os seus.

Para quem cá ficar, não vai ser fácil. Lamento.