quinta-feira, 17 de outubro de 2013

BANANA PEOPLE


Tenho acompanhado de perto todas as notícias que dizem respeito a Portugal, apesar de me encontrar bastante longe, numa situação muito confortável, que me permitiria dizer: “Não é nada comigo. Que se fodam!”.

Mas não consigo pensar dessa forma. Sempre fui e serei uma pessoa dotada de consciência social, que não tolera injustiças nem falhas de carácter.

Os portugueses estão a viver num filme de terror, que protagonizam como “zombies” apáticos, dominados por um agiota chamado “Troika” e um governo esquizofrénico e canibal, que lhes vai sugando as entranhas, enquanto esbanja recursos e palita os dentes.

Tem-se falado muito, nos últimos dias, em cortes para reduzir o défice e a dívida pública.

O governo toma medidas que asfixiam quem vive do seu trabalho, não se preocupando com os verdadeiros contribuintes, deixando em roda livre os profissionais da acumulação de chorudos vencimentos e reformas públicos, a maior parte deles sem nunca terem trabalhado na vida, com carreiras contributivas virtuais.

Por outro lado, o Estado continua a gastar à tripa forra, refém de um sem número de gosmas, vivendo acorrentado a um inúmero conjunto de compromissos políticos, feudos, vassalagens e outras sacanagens, tudo pago pelo Zé Povinho que sofre na pele a fome, a miséria, o desemprego, o desalento, o desespero, a emigração forçada, em nome de um “amanhã” que nunca chega, cada vez mais distante, anunciado por um primeiro ministro cara de pau.

Já era de prever que tanta PPP, tanto BPN, tantos SWAP, tanta SLN, tanta merda, iriam atingir a segurança social, as pensões e as reformas dos portugueses.

O que não era de prever é que fossem os mesmos a pagar a esbanja, sem contestação, enquanto os outros, os que se “abotoaram”, ficaram de fora.

2 comentários:

nelma ladeira disse...

Olá Angolana,gostei muito de conhecer seu blog!
Já estou seguindo beijinhos.

Flor disse...

Obrigada.

Bem vinda!

Volte sempre que quiser.