segunda-feira, 14 de abril de 2014

A POLÍTICA E O OLHO DO CÚ



Pouco tempo depois de Deus ter criado o Homem, todos os órgãos do corpo recém-criado queriam ser o Chefe. E os argumentos que cada um deles apresentou para assumir a chefia, foram os mais diversos.

O cérebro dizia com a arrogância própria dos cérebros: "Eu penso por todos vocês. Eu sou a inteligência. Eu controlo tudo por meio das acções dos meus neurónios. Então, se alguém aqui tem que ser Chefe, esse alguém sou eu.".

"Nós é que devemos assumir a chefia, pois somos nós que transportamos todo o corpo aos mais diversos lugares. Ainda que o cérebro queira ir a algum lugar, se nós não quisermos levá-lo, então o corpo não irá a lado nenhum" , disseram as pernas, em coro, recusando o falacioso argumento da massa cinzenta.

E as mãos: "Isso é puro disparate. Nós executamos todo o trabalho e é com ele que ganhamos dinheiro para o corpo sobreviver. É com esse dinheiro que todo o resto do corpo se mantém. Temos de ser nós o Chefe.".

"Onde não há sangue não há vida. Quem manda o sangue a todas as partes do corpo sou eu. Portanto, devo ser eu o escolhido". Foi o que o coração disse, tentando dominar a emoção do momento.

A certa altura ninguém se entendia, pois todos falavam ao mesmo tempo. Até a própria boca. Os pulmões ficaram ofegantes. Os olhos, irritados. O fígado e os rins protestavam e até os intestinos se manifestaram provocando um grande mal-estar geral.

De repente, fez-se um inexplicável silêncio e ouviu-se uma voz grave e solene:

- Quem vai ser o Chefe sou eu.

Quem assim falava, era o Cú.

Deram todos uma sonora gargalhada. Afinal de contas, ele nunca tinha sido levado a sério. Nunca fizera nada por merecer qualquer atenção, a não ser alguns ruídos ininteligíveis e fedorentos. E sobretudo merda, muita merda.

Mas o Cú insistiu:

-Quem vai ser o chefe sou eu. Querem ver?

E mais não disse, nem fez. Fechou-se em copas. Enfim, deixou de funcionar.

Em poucos dias, o cérebro já não conseguia raciocinar. Os olhos ficaram baços. As pernas não se punham de pé e as mãos pendiam flácidas dos braços enfraquecidos. Os batimentos do coração ficaram imperceptíveis, de tão fracos. Os pulmões estavam nas últimas. Todos sobreviviam com dificuldade. O corpo estava à beira da morte.

Sem alternativa, todos os órgãos concordaram em reunir-se em Conselho e todos votaram para que o Cú fosse designado, aclamado e aceite por todos, como "Chefe".


A partir daí, as coisas começaram a normalizar.

Cada uma das partes do corpo fazia o seu trabalho enquanto o Olho do Cú tudo observava, organizava e dirigia.

Mas, principalmente, fazia o que dele se esperava: merda , muita merda.

A partir daí, soube-se que não é necessário ser um cérebro nem ter uma grande inteligência para ser "o Chefe”.

Um simples olho do Cú, que passa todo o tempo a fazer merda, pode muito bem ser “o Chefe”.


2 comentários:

Anónimo disse...

Cette phrase est simplement incomparable :), j'aime beaucoup)))
hazelpi bb4arg48
http://www.homyinn.com.hk/forum/viewthread.php?tid=196780&extra=
http://apuestaverde.com/index.php?topic=465867.new#new
http://materaceo.net/showthread.php?tid=279383&pid=357691#pid357691
http://unitedbrink.net/viewtopic.php?f=83&t=53587&p=80340#p80340
http://www.forum.baoholaodonghcm.org/viewtopic.php?f=16&t=432633
http://alahmadi.sa/viewtopic.php?f=9&t=282982
http://forum.e-materace.pl/viewtopic.php?f=2&t=1342615
http://sampa.site50.net/showthread.php?tid=25090
http://www.ruse-online.net/index.php/topic,1067452.new.html#new
http://routerooms.com/viewtopic.php?f=1&t=120142&p=212160#p212160

Flor disse...

Et pourquoi les "links"?