segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

BATIDELAS


Portugal está a transformar-se num filme sado-masoquista.

A começar por nós que,  de quatro em quatro anos,  teimamos em dar umas palmadas e umas chicotadas em nós próprios.

O Zé Povinho é protagonista de sessões de boundage,  de tanga, com o governo a apertar-lhe o cinto, a garganta e a arrancar-lhe os cabelos.

E fica todo feliz porque a tanga é comestível,  e sempre é mais uma refeição que poupa.

Eu cá, pela parte que me toca, vou batendo com a cabeça na parede, enquanto peço que me façam coisas porcas, como umas sandes de torresmos.

Sem comentários: